domingo, 7 de março de 2010

Há saudade.


Quando disse que estava bom é porque estava mesmo, tudo o que eu sentia, tudo o que ele me fez sentir, aquele sentimento... Era algo bom, algo real, algo que senti e gostei.
Eu disse que não queria esquecer, quer dizer, disse que queria esquecer, mas agora acho que preferia que não tivesse esquecido, porque ao esquecer me vi triste novamente, me vi fraca, incoerente. É sinal de que esqueci, não ele, mas o sentimento. E agora tento me enganar (ou não) colocando outras pessoas no lugar, mas não sei se é real, porque NADA é real. O que sinto agora, não pode ser real, não pode. Como pode gostar assim? Como pode AMAR assim? Não tem como... Ele está tão longe... mas o sentimento está tão perto.. tão.. real... E nada está coerente. Tudo está tão confuso. Não sei mais, se é esse o sentimento que eu sempre esperei, ou era aquele o sentimento e que agora se foi. Não sei, não sei, não sei. Há muita incongruência, muita confusão, muito espaço aberto, muitas feridas, muitas saudades...

Isso eu sei... há muitas saudades.........

E isso dói.


Um comentário:

Poeta de um mundo caduco... disse...

Ei Mirella!!! Que saudades de vc, de vir aqui...

Então... às vezes a distância só faz aumentar o sentimento... mas é preciso aprender a conviver com os dias em que a saudade fica 'amarga'...

É bom quando sentimos algo por alguém, nos motiva, nos dá fôlego novo... ser VAZIA de sentimentos é ser SUPERFICIAL!

O sentimento pode se dissipar sim... mas é preciso fazer valer a pena os momentos vividos... sem temer o amanhã...

Beijinhos. ♥